Falando de Laço: 2020

Páginas

De sorte foi a Vacaria e o Carnaval que realizaram suas festas antes da Pandemia

Acredito que a volta do tiro de laço deve ser de forma gradativa. Iniciando com os eventos menores primeiro, como: Duelos e Torneios de Laço. Esses eventos devem conter regras de prevenção, como: Número de laçadores limitado, restrição a presença de público e aglomerações. Evitar shows e bailes neste primeiro momento é essencial, pois o momento é de cautela.

Pensando num cenário positivo não vejo problema de realizar daqui algumas semanas eventos campeiros com a presença entre 100 a 200 laçadores, por exemplo. Já que as provas de laço são realizadas em ambientes aberto e arejado. Penso que as autoridades devem monitorar e estar atentos a essa situação. Se um shopping center e restaurantes reabrem, porque um duelo com 120 laçadores, sem agenda artística, não pode ser realizado?

Vamos debater!! O que vocês pensam sobre isso? Quero opiniões? Vocês estão cautelosos com Pandemia ou são liberais??

Técnica Sniper

Mire pequeno acerte grande. Sabe porque você tem que mirar pequeno: porque se você errar por pouco, ainda assim acertará o alvo, OU SEJA A ARMADA.

Não é a toa que os melhores laçadores do Brasil treinam em gado pequeno: bezerros, vacas mecânicas mocha, etc. Esse treinamento consiste na ideia de melhorar a mira. Você estando com a pontaria bem regulada acertará bem mais fácil o GRANDE e o pequeno.

O problema que vejo de treinar só no grande, é que o mesmo pode lhe causar uma certa displicência, acomodação. Por ser mais fácil, talvez você não posicione em todas as armadas o seu cavalo corretamente, como deveria posicionar. Talvez você não faça o arremesso com a mesma intensidade ou determinação que deveria. No alvo pequeno se você for displicente na corrida ou no arremesso, NÃO PEGA. Pode até treinar num alvo grande, mas mire pequeno. Essa é a dica!! .

Se este texto foi útil de alguma forma deixe seu comentário ou like. 

Ahh... O laço nada tem a ver com armas e maus tratos aos animais. O uso das palavras alvo, tiro, quer dizer tiro de laço. Vocês sabem bem o que quis dizer.

33º Rodeio Internacional de Vacaria – RS

Angelito Hernandez e Roberto Guerreiro são os campeões da Caminhonete S10, no 33° Rodeio Internacional de Vacaria - RS. Dupla gaúcha se consagra campeã Internacional do maior e mais tradicional Rodeio de laço do mundo, Vacaria 2020!! Na segunda colocação ficou Juninho Simão e Romolon Fernandes, de Morro da Fumaça – SC, em terceiro Toral Junior e Lucas Santos, do estado do Paraná.

749 Duplas participaram da festa, sendo 186 as classificadas na força alta. Foram jogadas 35 voltas de laço para definir está modalidade. Sendo 3 na classificatória, 6 na peneira de sábado para domingo e 26 de final.

A divisão do prêmio se deu em 4 duplas, sendo R$ 20.000,00 para cada, com Rodrigo Gonçalves e Jeferson Lopes, entrando no 1º racha.

Parabéns aos campeões, pela belíssima disputa!!

Feedback de um laçador sobre o 33º Rodeio Internacional de Vacaria – RS

Terminou domingo dia 09 de fevereiro o 33º Rodeio Internacional de Vacaria – RS. Foram 10 dias de festa contando com a presença de 749 duplas oficiais. O número de participantes do evento em todas as modalidades foi grande, como de praxe no Rodeio de Vacaria. Por mais um ano foi uma festa fantástica, não quer dizer que seja perfeita. Quatro, na minha opinião, foram os pontos negativos do rodeio, que devem ser mencionados por nós e corrigidos pela organização:

RAIA CURTA – Algumas das principais modalidades foram decididas nos 20 metros de cancha, pela primeira vez na história em Vacaria. Sabemos que há esse artificio no regulamento do MTG/RS que permite o uso do encurtamento de raia. Só não esperávamos que isso acontecesse no maior e mais tradicional rodeio de todos. Não me digam que não esperavam esse número de participantes, pois os lotes haviam se esgotados já no ano passado. Evento começou com 1200 lotes para acampamento vendidos, já sinalizando que seria uma grande festa.

MADRUGADAS – Das 8 noites que dormimos em Vacaria, em sete houve viradas de noite. Resultado de uma programação ultrapassada. Se vocês olharem minha matéria de 2 anos atrás verão que eu tinha dito em 2018, que Taça de pelotões não cabe em Vacaria. Taça de pelotões é um recurso para ser utilizado em rodeios menores, onde não tem fluxo de laço na cancha. Vacaria tem nome e prestigio para fazer Taça Seca, (uma inscrição para cada laçador) cobrando um preço justo e dará a mesma ou até mais arrecadação que as de pelotões. Pois na taça seca o custo com gado diminui, pois a quantidade de armadas e horas de laço cai bastante. Taça seca e classificatória com 100% de aproveitamento, errou está liberado para aproveitar outras atividades do evento.

Gado mocho na final das Taças também pode ser uma solução. Hoje o nível de laço está muito alto. No mocho o erro é mais eminente.

FILA E LIMITAÇÃO DE INSCRIÇÕES – Tenho relatos de pessoas que ficaram 02 horas na fila para se inscrever em determinadas modalidades. Outros não conseguiram inscrição. Eu fui um deles.

Eliminando os pelotões, fazendo as Taças de ficha única, é fácil eliminar a limitação de inscrições. Enxuga a programação e deixa todos os interessados se inscrever, afinal quem vai a Vacaria é cliente deste evento. É quem gasta o seu dinheiro lá e faz essa festa ser do tamanho que é. Já passou da hora dos rodeios olharem para os laçadores como clientes. Outra forma de eliminar as filas, ou até mesmo limitar um número X de inscrições, é fazendo a mesma via internet, pelo site. O mundo hoje é digital.

PENEIRA DA PRINCIPAL LAÇADA NA MADRUGA – Vacaria é o sonho de 99.9% dos laçadores. Desta forma não pode haver peneira na madrugada de sábado para domingo, principalmente na força alta, (a principal modalidade do evento.) Quem se classificou na força D e C foi dormir cedo. Os classificados na A e B, viraram a noite a cavalo, para jogar 4 armadas, com o gado em condições desfavoráveis. Faltou também passar a ordem para os juízes apartarem algumas reses!

Do tamanho que está o rodeio de vacaria, o certo é deixar uma quantidade menor de duplas para laçar a classificatória na sexta, e sexta mesmo já começar a 1º peneira eliminatória das classificadas, usando sábado para a semifinal. No domingo somente finais como era antigamente em Vacaria.

Corrigindo isso o Rodeio é Fantástico!!

É o maior e mais tradicional de todos!! De dois em dois anos nos preparamos e vamos a Vacaria. Existe milhares de pontos positivos neste evento, como por exemplo: Rodeio completo, com campeira, artística e gineteadas. Extensa agenda de entretenimento ao público, como: shows, bailes e comercio. Arquibancadas e dependências do parque lotadas, na maioria dos dias. O gado que correu as finais de propriedade do Sr Rui Barcellos, um espetáculo. Elevado número de participantes de outros estados e regiões da américa do sul. Teve gente que fez mais de 4.000 KM para participar do rodeio (pessoal do Acre e Rondônia, entre outros.) A premiação distribuída aos laçadores, sendo enorme e valorizando a classe do laço. Foram pago R$ 40.000,00 nos automóveis. A mídia que tem em torno do evento, canais de laço e sites, dando visibilidade e divulgando nossa cultura nos quatro cantos do Brasil.

Para não me alongar, esses são alguns dos pontos positivos de Vacaria.  



8º Rodeio Nacional do CTG Independentes do Barracão

Campeões laço equipe força A
Terminou ontem as 21h o 8º Rodeio Nacional do CTG Independentes do Barracão, na cidade de Alfredo Wagner – SC. 108 equipes participaram da festa. Na Taça Cresol, individual no gado mocho foram 170 inscrições. As duas taças em duplas somadas, ultrapassaram 960 inscrições.

Dentro de cancha o nível estava altíssimo, estando presentes alguns dos melhores laçadores do estado de Santa Catarina. A novilhada ligeira que correu deu um brilho diferente as finais. Nas duplas destaque para Diego Carvalho e Maicon Delfes, campeões da Taça Sicredi e Tucano Automóveis. Individualmente destaque para Silvio Neto, campeão da Taça Cresol, com duas vidas. No laço equipes somente duas equipes converteram 100% de aproveitamento, fazendo as 12 armadas, e saíram da cancha como campeões.

Confira abaixo os vencedores das principais modalidades da força alta.

Laço Equipe força A – R$ 8 Mil o total:
1º Jhonatan Santos, Lucas Fernandes, Daniel Cunha e Lucas Thiesen – CTG Os Praianos
1º João Pedro Teles, Leôncio Ferreira, Alan Burato e Marcelo Lima – CTG Os Araganos

Taça Tucano Automóveis força A – R$ 6 Mil:

1º Diego Carvalho e Maicon Delfes
1º Juninho Simão e Romolon Fernandes
1º João Pedro Veloso e José Felipe

Taça Sicredi força A – R$ 3 Mil:

1º Diego Carvalho e Maicon Delfes
1º Ederson Ramos e Filipe Valgas
1º Murilo Barbosa e Iago Schmuller

Taça Cresol Individual – R$ 3 Mil:

1º Silvio Neto (2 vidas)
1º João Eder Borges

Parabéns a todos!!

1º Duelo dos Duelos

Campeões Duelo Individual força A
Dias 19 a 22 de Dezembro de 2019, estive na cidade de Tijucas, no estado de Santa Catarina, participando e prestigiando do 1º Duelo dos Duelos. Evento foi um sucesso dando a segunda maior premiação do ano, mais de 300 Mil em prêmios. 185 laçadores e 60 prendas participaram da festa. Muitos dos melhores competidores de laço do Brasil vieram atraídos por essa premiação.

Confira os vencedores do 1º Duelo dos Duelos:

Duelo Individual força A – 200 Mil:
1º Pericles Molina – SC
1º Rudah dos Passos – RS
1º Saymon Cavalli – RS
1º Luan da Silva – RS

Força B – 50 Mil: 

1º Angelito Hernandez – RS
1º Joelcio Andrade – RS
1º Israel Freitas – RS

Força C – 30 Mil:
1º Maicon Delfes – SC
1º Felipe Rodrigues – RS
1º Jarbas Bertolucci – RS

Deusas do Laço – Força A:

1° Iara Vieira - SC
1° Maria Eduarda - SC
1° Aline Rodrigues - PR
1° Bruna Teixeira - RS
1° Lariza Costa – SC

Campeões laço Quarteto força A – 2 Motos:
1° Rafael Godinho, Maycon Pacheco, Sílvio Neto e Benicio Warmling – CTG Fazenda Silva Neto
1° Pompilio Ramos, Pedro Luís, Kauã Boeno e Silvio Neto - PR/SP/RS/SC

Campeões laço Quarteto força B – 1 Moto:
1° Raniely Prevê, Felipe Cavalheiro, Henrique Neto e Benicio Warmling
1° Thiago Souza, Filipe Valgas, Ederson Ramos e Péricles Molina

Parabéns a todos!!