Páginas

Adsense cabeçalho

Publicidade Pampa Sul

O universo do cavalo

Foto retirada do site imagens gaúchas
Quando você encilha o seu equino e o conduz até uma prova de laço, rédeas ou qualquer outra que seja, você está impulsionando e movimentando o mercado equestre. Saiba por quê:

"O Cavalo Crioulo é hoje uma das raças mais representativas do mercado equestre nacional. Supera os 402 mil animais registrados em todos os estados do país e reúne um universo de 60 mil usuários. Movimenta R$ 1,3 bilhão por ano, segundo pesquisa da Esalq/Usp, e gera 240 mil empregos." Dizeres do livro O CAVALO CRIOULO - EVOLUÇÃO NO TEMPO, que será lançado na Expointer esse ano.

"O plantel Quarto de Milha no Brasil é composto segundo dados fornecidos pelo Stud Book da ABQM, até 13/08/2015, por 474.862 animais registrados, representados por 95.792 proprietários. Desse número, 45.447 são criadores e 26.917 associados cadastrados, espalhados por todos os estados brasileiros. Seus haras distribuídos em aproximadamente 1 milhão de hectares, são avaliados em mais de R$ 19,8 bilhões, onde são consumidos anualmente em ração em torno de 336 mil toneladas, com gasto de cerca de R$ 370 milhões. A mão-de-obra empregada diretamente também é bastante significativa, oferecendo 380 mil empregos diretos (média de 4 funcionários para cada propriedade.)" Fonte abqm.

Os dois parágrafos acima ilustram e mostram onde quero chegar. usei somente duas raças como exemplo.
tiro de laço, rodeio gaúcho
Estou citando esse texto para refletirmos o quanto é importante o nosso esporte, o tiro de laço e os demais, feitos a cavalo, como: Freio de Ouro, Rédeas, Hipismo, Cavalgadas, Gineteadas, corrida de cavalos, entre outros. Para praticarmos um desses esportes ou apenas lidando no campo com pecuária, precisamos fielmente do cavalo. E esse movimenta e gera fonte de renda a varias famílias, veja por que:
Publicidade
Para termos um plantel de animais precisamos criar, ou de alguém que crie. Então no topo da pirâmide entra os criadores, donos de cabanhas, haras, etc. Essas pessoas são muito importante para todos nos, pois vão fornecer a matéria prima equina. Quem cria animais sabe e precisa contar com profissionais capacitados, funcionários de estrebarias e campo, (média de 4 para cada propriedade.) Desde uma roça de aveia e capim que serve para dar pastagem e sustento aos bichos requer o trabalho e suor desses profissionais. 
Processo de criação de equinos: Veja como é longo: Após a prenhes da égua, a mesma tem aproximadamente 11 meses de gestação, até que o potro venha a nascer, após o nascimento o potro recebe acompanhamento e cuidados especiais, o mesmo se alimenta quando pequeno de verde e leite materno. Somente após os dois (2) anos de idade esse animal começa a receber os primeiros adestramentos. Nesta etapa é oferecida mais uma vaga de trabalho a um profissional, o domador. Esse adestramento começa logo cedo mais é lento para obter bom resultado, pois somente aos quatro anos o potro atinge a idade adulta e está totalmente fechado de osso. Após atingir a idade adulta o cavalo está apto a receber uma carga maior de treinamento, muitas vezes direcionado para as provas que irá fazer. Fazendo isso o mesmo recebe também cuidados especiais, como: Ferra geamento, e cuidados na dentição, sempre contando com o acompanhamento de um médico veterinário. Um cavalo bem cuidado pode chegar até os 30 anos de idade.

Olhando acima, podemos ver que essa etapa um equino gera em média sete (7) fontes de trabalho. Mais não para por ai.Vamos em frente.
rédeas ABQM
Uso de aperos, encilhas e pilchas:
logo iniciada a doma de um animal é usado aperos e encilhas que são feitas a mão ou trabalhadas, confeccionadas por profissionais da área, como: Guasqueiros, correarias, selarias, indústrias de couro, entre outros. Nesse nicho de mercado das encilhas e pilchas há uma enormidade de coisas e opções aos consumidores. O fato que um animal apresentável precisa de uma sela, ou basto, com loros de couro e estribos, um par de barrigueira, travessão, pelego, um bacheiro ou manta e carona, na boca um freio, com cabeçada de couro e rédeas. Podendo acrescentar o peitoral. E o peão precisa usar as indumentarias do ramo, como, bota, bombacha, camisa, guaiaca, lenço e chapéu. No meu caso pode acrescentar mais o laço de couro. Vocês notaram a quantidade de coisas? Então cada produto desses, é confeccionado e consumido por adeptos de algum esporte equestre. E isso gera fonte de renda e emprega pessoas.
Freio de Ouro ABCCC
Profissional autônomo: Quando é organizado uma festa pequena, ou de grande proporção, essa festa precisa de profissionais liberais. Um rodeio por exemplo, precisa de no mínimo cinco (5) Narradores e Locutores. Esse número varia de um evento para outro. Já fui a rodeios com 30 narradores, acima de 10 é comum. Juízes e avaliadores de laço, no mínimo (2) podendo chegar a (10), Pessoal de trabalho de brete, mangueira, medidor, saca laço, secretaria, esses o numero varia bastante dependendo do evento, no minimo dez pessoas. O pecuarista que fornece o gado, e tem seus funcionários na sua propriedade. O Freteiro que faz a logística da pecuária. Não esquecendo as barracas de comida que oferece o serviço foods. Os músicos, de canções gaúchas e sertanejas. As industrias de ração e laboratórios de medicamentos veterinários. todos lucram através do cavalo.

Notaram quantas pessoas o universo equestre movimenta? A quantidade de cifras esse mercado circula? A quantidade de renda que ele gera as famílias envolvidas?

Então não me venham com demagogia e essa conversa de direitos dos animais e blá, blá, blá. Ninguém cuida melhor deles “animais” que nos. E a prova é essa, muitas famílias tiram o sustento através deles.

Até acho que deveríamos receber mais ajuda dos órgãos federais. Se tem emprego e renda envolvida, o governo deve fomentar!! 


Sem mais...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Banner responsivo

Banner grande celulares moveis