Falando de Laço

Páginas

34º Rodeio Crioulo do CTG Laço Velho da Saudade

Campeões laço equipe força A

Terminou ontem na cidade de Rancho Queimado – SC, o 34º Rodeio Crioulo do CTG Laço Velho da Saudade. 64 equipes se fizeram presentes nesta edição. Cheguei no evento somente sábado e as provas de laço estavam transcorrendo com naturalidade. Observei que foram realizadas melhorias no parque para bem receber os visitantes. A cancha remodelada ficou um espetáculo. A área de acampamento também recebeu benfeitorias.

Confira abaixo os vencedores das principais modalidades:

Laço equipe força A – R$ 4 Mil:

1º Junior Backs, Eduardo Abreu, Pedro Moura e Antônio Marcos – CTG Boca da Serra
1º Jhonatan Santos, Lucas Fernandes, Luiz Gustavo e Andrey de Souza – CTG Os Praianos

Taça cidade de Rancho Queimado, força A – R$ 5 Mil:
1º Anderson Caldas e Phelipe Lopes
1º Lucas das Caz e José Felipe Gomes
1º Guilherme Figueiredo e Daniel Muller

Taça Cabanha Dinastia – R$ 1 Mil:
1º Maycon Pacheco e Silvio Neto
1º Paulo Hang e Hugo Soares

Curiosidades: Somente duas equipes converteram as 12 aramadas.

- Após terem convertido as 12 armadas as duas equipes optaram por dividir a premiação e título. Desta forma não houve final da força A.

Estabelecido novo recorde de armadas

Campeões duelo força alta
Terminou esta madrugada dia 04, o 3º Duelo Brasileiro das Feras, na cancha coberta do CTG Serranos do Laço, em Ipê – RS. 150 laçadores participaram do duelo individual valendo R$ 70 Mil. Na força B seis laçadores dividiram a premiação de R$ 10 Mil, após 112 voltas de laço, um recorde na modalidade. Sendo eles: Israel Freitas – RS, Ricardo Zambiasi – RS, Alécio Silva – RS, Luiz Henrique – RS, Thaian de Avila – RS e Ivo Neto – RS.

Na força alta, seis laçadores dividiram a premiação de R$ 60 Mil, com Rodrigo Rodrigues participando do primeiro racha. Nesta modalidade através dos campeões ficou estabelecido o novo RECORD de armadas numa única modalidade com 140 voltas. Os Atuais recordistas são: Filipe Valgas – SC, Silvio Neto – SC, Gustavo Moraes – SC, Cassio Pianaro – PR e André Machado – RS.

No laço duplas os vencedores do automóvel zero quilometro foram: Lucaz Vanaz e Alan Ferraz – RS - Gilbraz Veloso e Tobias Lima.

Vocês analisem o nível de laço que estamos presenciando. Cinco laçadores jogaram 140 armadas sem erro. Alguns jogaram mais de 100 e não ganharam nenhum centavo sequer. É amigos, individual no gado aspado, se a boiada for boa e por ventura amansar não está fácil de lidar. O pessoal está laçando demais. 

Parabéns aos campeões e recordistas!!

Prova de Laço da Cabanha Jacobowski e Desafio No Limite

Arte Falando de Laço
Terminou domingo dia (27) a Prova de Laço da Cabanha Jacobowski e Desafio No Limite do Laço, em Campo Novo do Parecis, estado do Mato Grosso. Durante 10 dias de prova evento distribuiu mais de R$ 1 Milhão em prêmios.

Na principal modalidade o Desafio No Limite que tinha como prêmio R$ 920 Mil, quatro laçadores chegaram empatados no final das 80 armadas, com 78 pontos convertidos. Sendo eles: Kauã Boeno – RS, Lucas Santos – PR, Ivan Barbosa – MS e Thaian de Avila – RS. (Houve também um racha por volta de 60 armadas, em que Rodrigo Moretto e Duzinho Biazon – SP, participaram.) Após as 80 armadas os quatro finalistas dividiram o restante da premiação e entraram num acordo amigavelmente cedendo o título de campeão ao mais jovem finalista, Kauã Boeno. A divisão da premiação ficou desta forma:

Kauã Boeno – R$ 180 Mil
Lucas Santos – R$ 180 Mil
Ivan Barbosa – R$ 180 Mil
Thaian de Avila – 180 Mil
Duzinho Biazon – 100 Mil
Rodrigo Moretto – 100 Mil

Em todas as provas de laço o nível foi altíssimo estando presentes os melhores e mais preparados profissionais do esporte. Evento entrou para história como maior premiação em uma prova de Laço comprido.

Dentro de cancha destaque para Thaian de Avila, campeão em três modalidades: Individual No Limite, Individual profissional e laçada da marca da cabanha Jacobowski (valendo um automóvel 0KM). Lucas Santos também venceu três modalidades: No limite, Laço Trio e seleção de estado. Kauã Boeno venceu duas modalidades: No limite e Laço Duplas, valendo um automóvel 0KM.

De Santa Catarina em torno de 30 laçadores participaram do evento. Destaque para Aquiles Pereira, um dos campeões do laço duplas ao lado do sul mato-grossense Marcos Natis. Na prova No limite o catarinense mais bem colocado foi Silvio Duarte Neto com 77 armadas de 80. Faltando uma única armada para ser um dos finalistas da prova. Alexandre Dutra e Josué Souza também tiveram boa participação.


Mais uma página escrita na cancha coberta de Ipê – RS

No 1º Duelo Rei de Roma que terminou essa madrugada, mais uma vez o recorde de armadas, de uma modalidade ficha seca foi batido. O Antigo recorde de (Estrela Velha – RS) durou menos de 1 ano (dezembro do ano passado). É bom lembrar que existe também o recorde de Gilmar dos Santos com 137 armadas sem errar. A diferença no caso do Gilmar, que a laçada tinha vida guardada. O Gilmar não errou, mas o artificio da vida guardada possibilitou seus concorrentes a darem escoro até as 137 armadas. Na minha opinião Gilmar segue recordista na modalidade vida guardada SEM ERRAR. Já Felipe Dalcin, Pericles Molina, Alan Soares e Thaian de Avila são os atuais recordistas numa modalidade de FICHA SECA, com 119 armadas, com o feito realizado na cancha coberta de Ipê.

Isso só reforça o atual momento do laço. Nunca na história estivemos em um momento com laçadores tão afiado. Hoje há dezenas, centenas de competidores com qualidade para laçar mais de 100 bois. E os últimos duelos tem provado isso. Tanto que está raríssimo tirar um único campeão, devido a qualidade dos laçadores.

Minhas reverencias aos campeões e atuais recordistas: Alan Soares e Thaian de Avila, há mais de 10 anos no topo, são os responsáveis por o nível de laço estar onde está. Muitos treinam para não perder para Alan e Thaian. Felipe Dalcin e Pericles Molina, dois jovens da safra nova que tem sua qualidade inquestionável e hoje são realidades no laço, tiveram seu esforço e dedicação coroado com o titulo e recorde. 

Silvio Neto, Thiago Souza e Kesley Caçapava, foi por um detalhe que escapou o recorde desta vez.